Cadeiras ícones e seu design atemporal

Por definição uma cadeira nada mais é que uma simples peça de mobiliário e sua história remonta tempos primordiais, as mais antigas de que se tem notícias, são as cadeiras egípcias.


Ela desembarcou por aqui junto com a vinda dos portugueses, no século 16. Até então, o mobiliário indispensável eram a rede e a esteira indígenas, confeccionadas com fibras vegetais. Apenas no século 19 é que as famílias brasileiras, as mais abastadas, passaram a incorporar no mobiliário o jogo de cadeiras, destinado a compor a sala de jantar e as salas de visita.


Grandes mestres da arquitetura como Frank Lloyd Wright, Gerrit Rietveld, Mies van der Rohe, Le Corbusier, entre muitos outros, se imortalizaram também através do design de cadeiras, como uma forma de extensão de sua arquitetura, que dialogassem com seus espaços. Por isso é comum vermos esta estreita relação entre grandes arquitetos e o design de mobiliário, especialmente nas cadeiras. Possuir uma destas peças assinada por estes grandes nomes eleva o objeto de sua simples função para uma escultura de design valiosa.


Durante o século XX, tivemos uma verdadeira explosão no uso crescente de tecnologia para a produção de cadeiras. Uma das primeiras cadeiras a se tornar famosa foi a Hill House de Charles R. Mackintosh em 1928.

Os móveis modernos criados sob a influência da escola Bauhaus na primeira metade do século XX deram origem não só a estilos e formas, mas a tecnologias de fabricação e suas criações se multiplicaram, sofrendo até hoje releituras das mais diversas formas.


Marcel Breuer foi o precursor do design arrojado para as cadeiras, a Wassily (1925), inspirada nos tubos de aço de sua bicicleta, é um verdadeiro clássico do design mundial. Dizem que a Wassily de tão atual que é, possui design contemporâneo.

Criada originalmente para a realeza espanhola, Mies Van der Rohe incluiu duas cadeiras em seu projeto do Pavilhão Alemão na Exposição Mundial em 1929 em Barcelona. O sucesso foi tão grande, que surgiu a Coleção Barcelona, composta por puff, mesa, poltrona e couch. O que mais nos impressiona é que desde sua criação até os dias atuais ela permanece moderna, majestosa e bela.

Le Corbusier projeta em 1928 a cadeira Basculante LC1 com estrutura em tubo de aço cromado e com assento, encosto e braços em pele de bezerro.

Admirada tanto por sua presença escultural como pelo seu conforto, a cadeira Paimio é feita com uma lâmina de bétula moldada e uma estrutura sólida do mesmo material. Criada pelo finlandês Alvar Aalto para que pacientes com tuberculose pudessem se sentar por longas horas com as costas anguladas para facilitar a respiração.

Arne Jacobsen, mais conhecido pelas cadeiras que projetou e que estão entre os clássicos do design do século XX, projetou o Formiga (Modelo Nº 3100: 1951-52). Em 1955, projetou um modelo semelhante para a Série 7 (Modelo nº 3107) e em 1958, as cadeiras The Egg e Swan.

Com uma forma vanguardista para a época, a cadeira Tulipa, foi criada pelo Eero Saarinen como alternativa ao mobiliário com muitas pernas, toda a sua beleza é sustentada por um pedestal minimalista.

Criada pelo designer mundialmente famoso Harry Bertoia, a Bertoia é composta por cadeiras e bancos que podem decorar salas de jantar, cozinhas e salas de estar.

Definitivamente, não há objeto de uso individual mais projetado e desenvolvido pelos arquitetos e designers na história do que a cadeira, são trabalhos incríveis de peças que marcaram a história do design e continuam atuais até hoje.

Posts recentes

Ver tudo

Quer receber nossas novidades? Nos envie seu e-mail

Todos os direitos reservados © 2020 Studio Marcelo Bastos